Campanha "Vacina é proteção para todos"

Campanha “Vacina é proteção para todos”

Apresentação

A campanha “Vacina é Proteção para Todos” — criada pela SBIm com o objetivo de destacar o papel da vacinação na prevenção de doenças graves — foi lançada em 1 de outubro de 2015, durante a XVII Jornada Nacional de Imunizações, realizada em Curitiba, e circulou até dezembro do mesmo ano.

A ação contou com o apoio da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Federação Brasileira de Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG).

Foram veiculadas — nas rádios, redes sociais e na televisão — informações sobre sarampo, caxumba, catapora, febre amarela, HPV, doença meningocócica, coqueluche, pneumonia, hepatites A e B, poliomielite, febre amarela e herpes zóster. Para ilustrar o impacto das doenças sobre a qualidade de vida, pessoas que passaram por esses problemas contaram a experiência e a importância que hoje dão à vacinação.

A campanha também marcou o lançamento do portal Família SBIm, enciclopédia virtual que disponibiliza aos internautas, entre outros recursos, detalhes sobre as doenças imunopreveníveis; como são transmitidas; quais os sintomas e complicações; onde as vacinas estão disponíveis, além de um glossário de conceitos. Confira em familia.sbim.org.br.

Vidas marcadas: histórias que a vacinação poderia ter evitado 

Drauzio Varella – O médico fala de sua experiência com a febre amarela, doença que quase o matou.

 

Pedro Bandeira – O autor de literatura infanto-juvenil mais bem-sucedido do país conta como, por pouco, não perdeu a vida para a pneumonia.

 

Fabio Gouveia – O surfista não foi vacinado na infância, contraiu sarampo durante viagem ao exterior e transmitiu a doença para outros brasileiros.

 

Pedro Pimenta – O jovem teve as duas pernas e os dois braços amputados devido à meningococcemia. Hoje, palestrante, descreve sua trajetória de superação e destaca o quanto a vacinação é fundamental.

 

Mauro e Eliana – Ele teve poliomielite aos três meses, em 1956. Ela, aos três anos, em 1972. Juntos, alertam para a importância da cobertura vacinal como estratégia para manter o vírus longe do país.

 

Virgínia Veiga – A ativa senhora de 84 anos conta como viu sua rotina mudar drasticamente por conta do herpes zóster. A afecção, relacionada ao vírus da catapora, causa dor incapacitante.

 

Aline Duarte – A mineira de Juiz de Fora conta sua luta contra a infecção por HPV, que quase comprometeu seu sonho de ser mãe.​

Divulgue

A vacinação não é apenas um ato individual, é uma questão de cidadania. Ajude-nos a transmitir essa mensagem.

Acesse o press kit