Covid-19

Triagem

Imprimir

O profissional deve analisar o histórico de saúde do paciente e possíveis contraindicações/precauções, bem como confirmar o seu nome para evitar a aplicação em pessoa errada. O procedimento deve ser feito mesmo em pessoas que já receberam a primeira dose, uma vez que as condições podem ter mudado.

Avaliar a condição atual de saúde e questionar se o(a) paciente:

A triagem deve ser feita com o auxílio de uma ferramenta de triagem abrangente e padronizada. Confira um exemplo.

Intercambialidade

Os esquemas de vacinação devem ser completados com a mesma vacina. No caso de pessoas vacinadas de maneira inadvertida com duas vacinas diferentes, a orientação do Ministério da Saúde (MS) é informar no “e-SUS Notifica” como erro de imunização e acompanhar possíveis eventos adversos e episódios de falha vacinal. Isso é importante porque ainda não há dados bem estabelecidos sobre a segurança e/ou eficácia em situação de intercambialidade.

O MS também determina que “estes indivíduos não poderão ser considerados devidamente imunizados”, mas que, no momento atual, “não é recomendada a administração de doses adicionais de vacinas Covid-19.”

O MS poderá atualizar essa e outras recomendações por meio de “Informes Técnicos” que têm sido divulgados periodicamente. Fique atento.

Coadministração com outras vacinas

Por precaução, recomenda-se guardar ao menos 15 dias entre a administração da vacina covid-19 e outras vacinas em crianças com até 11 anos. A partir dos 12 anos, a vacina pode ser aplicada simultaneamente ou com qualquer intervalo em relação a outras vacinas.